Escassez do Bitcoin: Percepção vs. Realidade

No começo do ano de 2018, a imprensa inundou a internet com artigos afirmando que apenas 20% do total de bitcoins continuavam sendo extraídos, causando um frenesi de medo de perder a oportunidade para aqueles que ainda não haviam investido. Eles estavam corretos, 80% do fornecimento fixo total de 21 milhões de Bitcoins estabelecido pelo misterioso Satoshi Nakamoto eram agora contabilizados, com a transação de 16,8 milhões ocorrendo em 13 de janeiro de 2018. Apesar disso, muitos meios de comunicação falharam em informar que com o tempo os Bitcoins se tornariam cada vez mais difíceis de serem minerados como resultado da complexidade inerente das minerações e do esquema de recompensas decrescentes ao longo do tempo. Como resultado, muitos sugeriram que uma aproximação vaga do último bloco Bitcoin a ser extraído ocorrerá em 2140. Este artigo visa assegurar que os participantes do mercado estão cientes dos fatos que cercam a oferta fixa de Bitcoins, a evolução da mineração do Bitcoin e como a sua escassez, ou a percepção dela, poderia afetar a demanda no futuro.

Limite de 21 Milhões de Bitcoins

Ao contrário das economias tradicionais dos estados-nação, o Bitcoin opera de maneira totalmente descentralizada com um suprimento fixo. Considerando que um banco central geralmente emite a moeda que desejar, de acordo com o crescimento do número de bens que estão sendo trocados na economia (comumente conhecido como Quantitative Easing – flexibilização quantitativa ou política de harmonização financeira quantitativa). Bitcoin é produzido em uma taxa predeterminada definida pelo algoritmo inicial que foi implementado por seu criador anônimo. O algoritmo estabeleceu regras que não podem ser alteradas. Como tal, como a moeda é criada e em que taxa foi inerentemente finalizada no início. Assim, pode-se ter certeza de que apenas 21 milhões de Bitcoins serão criados.

A certeza da oferta fixa de 21 milhões de Bitcoins pode ser explicada da seguinte forma. Bitcoins são criados toda vez que um minerador descobre um novo bloco. Desde que o primeiro bloco na Blockchain Bitcoin foi criado (também conhecido como Genesis Block), a taxa que os blocos foram extraídos foi ajustada a cada 2016 blocos para manter um período de ajuste de duas semanas, pois seis blocos são criados por hora. O número total de Bitcoins gerados por bloco é predefinido para diminuir pela metade a cada 210.000 blocos, o que equivale a aproximadamente quatro anos. Estas condições predeterminadas determinam que a taxa de novos Bitcoins criados diminui exponencialmente ao longo do tempo e garante que nunca mais de 21 milhões de Bitcoins serão criados.

(Fonte: fornecimento controlado: estimativa de linha do tempo)

O algoritmo intencional de oferta decrescente foi escolhido para introduzir o conceito de escassez digital na criptomoeda. Certos indivíduos comparam os atributos escassos dos Bitcoins a metais preciosos como o ouro. Por exemplo, à medida que o tempo passa, grandes quantidades de ouro são cada vez mais impossíveis de encontrar sem investimentos em grande escala. Esse processo continua até que o custo de obtenção de ouro quase supere seu valor de mercado. Capturar esse fenômeno na esfera digital não é tarefa fácil e, portanto, a escassez é uma das características que definem o Bitcoin. Deve-se notar que o conceito de escassez não é amplamente visto no mercado de criptomoedas, projetos como Ripple, Nem e Lisk lançaram todas as moedas no mercado de uma só vez.

A Evolução da Mineração de Bitcoin

Para continuar a analogia do Ouro, para obter a matéria-prima, grandes quantidades de esforço físico precisam ser gastas para minerar o escasso ativo. No Bitcoin, isso equivale à grande quantidade de energia computacional necessária para resolver problemas matemáticos extremamente complexos para que um novo bloco seja criado. Assim, aqueles que se esforçam para resolver tais desafios são denominados “mineradores“.

Como discutido anteriormente, a cada 210.000 blocos, os mineradores recebem metade da recompensa pela solução de um novo bloco. Quando o Bitcoin foi originalmente criado em 2009, os mineradores receberam a surpreendente quantia de 50 BTC para resolver um bloco como recompensa por serem inovadores no espaço, embora com equações muito mais fáceis de resolver. Por exemplo, quando o Bitcoin foi lançado pela primeira vez em 2009, um computador pessoal médio teria sido capaz de extrair cerca de 200 BTC em poucos dias. Hoje em dia, o mesmo computador levaria 98 anos para minerar apenas 1 BTC. Como resultado, tal mineração não é tão disponível para clientes de varejo como era anteriormente. Em vez disso, mais instituições industriais entraram no mercado com configurações de computadores ASIC (Application Specific Integrated Circuit) para maximizar a quantidade extraída. Isso realmente mostra o aumento exponencial da dificuldade em um espaço de tempo relativamente curto.

(Fonte: fornecimento controlado)

Hoje, os mineradores recebem 12,5 BTC como recompensa por resolver um novo bloco. Espera-se que o próximo evento ‘halving’ ou “corte pela metade” ocorra em 2020. À medida que esse processo se desenrola, as mineradoras receberão cada vez menos recompensa pelos blocos que criam, enquanto as equações que precisam resolver se tornarão cada vez mais complexas, exigindo muito mais esforço computacional e despesa. Este paradoxo intencional implementado por Satoshi garante que o suprimento de moedas não possa aumentar muito rapidamente. Como dito anteriormente, o último bloco será extraído em aproximadamente 2140. Consequentemente, com o fornecimento de Bitcoins restrito até 2140 e a demanda provavelmente aumentando, como resultado da escassez de Bitcoins entre inúmeros outros fatores, o valor do Bitcoin quase certamente aumentará exponencialmente ao longo do tempo. Isso garante que o Bitcoin seja uma excelente reserva de valor, mais uma vez semelhante ao ouro.

 Como A Escassez Afeta A Demanda

Sem dúvida, a escassez teve um grande impacto na demanda por Bitcoin e isso irá alimentar o efeito de bola de neve que se autoperpetua à medida que o tempo passa e a oferta continua a diminuir. Como acontece com qualquer ativo fornecido limitado, quando o recurso subjacente se torna mais difícil de obter, a escassez de oferta causa uma demanda significativa para o mercado quando o ativo é percebido como tendo valor. Como previamente sugerido e amplamente reconhecido, o Bitcoin é agora visto como uma reserva de valor desejável comparável ao ouro. Assim, com apenas 21 milhões de Bitcoins a serem criados, o mercado mostra, ou certamente será no futuro, uma lacuna significativa entre o número de pessoas que desejam comprar o ativo e a quantidade disponível. À medida que esse processo se desdobra, a escassez digital tornará o Bitcoin exponencialmente mais valiosa com o tempo.

Para continuar a perpetuar isso, a percepção individual da escassez de Bitcoin sobre a realidade atual apenas aumentará a taxa de adoção. Não demorará muito até vermos artigos afirmando que apenas 15% de todos os Bitcoins a serem criados já foram extraídos. Sem dúvida, as massas acumularão o ativo mais uma vez, antes que sintam que é tarde demais. O fato é que, como mostrado neste artigo, o fornecimento de Bitcoin rapidamente diminui com o tempo, à medida que a complexidade de resolver blocos se torna cada vez mais difícil e os mineiros são menos recompensados. O Bitcoin continuará a ser extraído até o ano aproximado de 2140. Portanto, ainda há muito tempo para investir. Conforme o Bitcoin passe a ser reconhecido como uma reserva de valor e entendido e adotado por novas pessoas, pode-se desejar que eles tenham investido de preferência antes do que tarde.

Conclusão

Este artigo tem como objetivo preencher a lacuna entre a percepção da escassez de Bitcoin e a realidade real do assunto. Não há como negar que a maioria dos Bitcoins já foi minerada, mas a excelência do misterioso código dos criadores garante que seu suprimento não possa ser criado muito rapidamente. Esse atributo inerente faz do Bitcoin uma excelente reserva de valor, semelhante ao ouro, mas na esfera digital. Algo verdadeiramente pioneiro e único em nosso mundo digital. Em vez de investir no medo de perder, talvez devêssemos nos maravilhar com a surpreendente tecnologia por trás do projeto em si. De qualquer maneira, pode-se ter certeza de que o preço do Bitcoin aumentará à medida que sua oferta diminuir lentamente, enquanto as percepções das pessoas permanecerem inalteradas.

Confira o Blog BBOD Research para mais artigos.

Junte-se à nossa comunidade global 👫

Fique atualizado sobre os próximos lançamentos da BBOD através das redes sociais:

Telegram: https://t.me/BBODPortuguese

Twitter: https://twitter.com/BBODBrasil

Facebook: https://www.facebook.com/BBODBrasil

YouTube: https://www.youtube.com/c/BBODTV

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/bbod